• Home
  • Colaboradores
  • Dr. José Renato Carlan

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 133

Segunda, 26 Dezembro 2016 23:42

NATAL E VIRADA DO ANO: MELANCOLIA E PROMESSAS DE FELICIDADE

Escrito por

Natal e Novo Ano nos remetem a mitos, rituais e valores simbólicos que marcam nossa existência: nascimento, vida, renovação, mudanças, criar projetos ou resgatar projetos antigos... Momento também de encontro com as contradições e paradoxos da vida: Ilusões e desilusões; alegrias e tristezas; vida e morte; passado e futuro; esperança e medo; melancolia e euforia.

Sexta, 09 Setembro 2016 23:50

OBJETO TRANSICIONAL

Escrito por

O desenvolvimento infantil ocorre de forma gradual, desde a fase simbiótica, de fusão e necessidade de contato físico com a mãe, passando por fases de dependência até a independência. Nesse processo vivencia ilusões e desilusões, presença e ausência, conforto e frustração. Nas fases iniciais, a mais significativa desilusão ou frustração corresponde ao desmame, como uma perda do primeiro objeto bom, o seio.

 

Direta ou indiretamente estamos frente a uma profusão de imagens, filmes, histórias em quadrinhos e, hoje, com as novas tecnologias e a virtualidade, as janelas da casa se ampliam facilitando o acesso dos alienígenas e mutantes, transformers e vingadores nas suas mais variadas versões.

Pensar a hiperatividade infantil hoje, nos coloca diante de um quebra-cabeças cujas peças transcendem ao aspecto puramente mental, organicista ou químico, no momento em que nos deparamos com um tempo e um momento social hiperativos onde prevalece o imediatismo, a velocidade, a quebra de limites e referenciais, em um tempo explosivo e um espaço bastante “comprimido”.

Educar, do latim “educare”, significa instruir e também “criar”. Essa palavra é composta ainda por “ex”, fora, e “ducere”, guiar, conduzir, liderar. Remetemos-nos, então, aos guias, pais, educadores, professores, referências a partir dos quais a criança vai se constituindo, se desenvolvendo.

Terça, 12 Janeiro 2016 17:26

SOBRE OS MEDOS NA INFÂNCIA

Escrito por

Quem tem medo de lobo mau?!

Contos como “Os Três Porquinhos e o Lobo Mau” e “Chapeuzinho Vermelho” traduzem um pouco do imaginário infantil sobre situações de medo e desamparo infantil contrapondo personagens mais fortes e mais fracos e desprotegidos, numa construção lúdica, onde há um conflito, uma elaboração e um final na maioria das vezes feliz. Assim, um enredo de conflito e medo vai se construindo e desconstruindo.

4kids 44